25.4.10

Por uma nova pele

Outono
ou outubro
outro nada
outro tudo.
E voltarás
a teu quarto
só como sempre.
Outra noite
outro susto
ouvindo valsas
ousando um salto.
E serás o mesmo.
Outro grito
outra face
outro gesto ensaiado
outro amor não declarado.

Até quando?

6 comentários:

Guto Leite disse...

Gostei muito, William! Acho que conseguiu uma força muito grande com esse "o" repetitivo, fechado, denso... =) grande abraço, com a de aberto

Victor Meira disse...

Hahaha, "ousando um salto" é ótimo, William. Nossa mano, há algumas semanas atrás eu acho que eu ia derreter com essa poesia.

isaac disse...

pdscr, o poema eh densissimo, nao falha em perturbar o mais impassivel dos leitores.

Philippe Bacana disse...

muito bom.

Heyk Pimenta disse...

bom, as semanas atrás do victor são minhas semanas atuais, e derreti como sempre.

é duro. parece carta anônima posta embaixo da porta. se fosse, seria suicídio, inevitável.

Leo Curcino disse...

que deícia esse ritmo.

outrora.