11.4.10

Drums

ópios ovnis zóios sóis ápice apêndicite luas......................

- e o côro dos crackeiros, no centro da cidade, ecou em silêncio

ópios ovnis

- e a boa preguiça se fazia sem farsa

zóios sóis

- já mandei contratar uns dois advogados

ápice apêndicite

- acho que está próximo de chegar alguma outra'jornada

luas......................

-tá me tirano, man?
-tá nietzscheniano, hein!

ópios ovnis zóios sóis ápice apêndicite luas......................


(fecha cena).

4 comentários:

Victor Meira disse...

Bela caco! Numa batida boa, tudo ritmado e nitzscheniano. Apêndicite quebra no contratempo regulado ou se lê no compasso como "ÁpiçapÊndicÍte"? Só vendo com a banda falada.

I've got the bass! A cozinha tá feita. Quem se ajunta?

tomazmusso disse...

muito legal a poesia, divertida e atirada! Valeu!

Heyk Pimenta disse...

caco, eu já conhecia o texto, ele permaneceu como era, ou teve coisa nova nessa versão? eu gosto, viu!, muito joia messss.

Eita!

Caco Pontes disse...

vitão: to quase convicto que é num compasso só, mas a ideia de contratempo não permite a total certeza.


tomaz: o negócio é atirar pra ver se acerta algo.


heyk: num sei se ressurge como era ou se renova-se, mas me interessam sempre tuas considerações...

abço a todos manos e minas de maná!