3.2.09

Medo de ser

No início, eu tinha medo
Do escuro, de bruxa, de monstro,
De não ganhar presente no natal
Já tive medo de crescer, de ser muito feio,
Ficar muito alto, muito baixo,
Muito magro, muito gordo
Já tive medo de reprovar na escola,
De fazer feio no primeiro beijo,
Falhar na primeira vez
Já tive medo da morte
Hoje tenho medo da vida
Do hoje, de amanhã,
De só sonhar sem realizar,
Querer sem poder,
Sentir sem prazer,
De me esquecer,
De te perder,
De ser.


12 comentários:

raphael disse...

aqui tem sentimento...mas realmente voce sente tanto medo assim, ou é isso uma construçao? o que é medo? é o temor que se sente no peito, ou o medo de reprovaçao social? é o medo que da nervos segundos antes de roubar no supermercado,o medo excitante de fazer o proibido, ou é o medo construido e imaginado? medo é medo, pode ser bom ao se complementar a açao, mas fatal se coagir a vontade. abraços.

Anônimo disse...

Os mitos mudam, mas os medos sempre estão presntes, às vezes como freios, às vezes obsessivos e sufocantes... mas no fundo, sempre refletindo desejos inconfessos.

Larica

Julia disse...

Ai que medo!
:-P

Beta Profice disse...

Adorei a visita e o comentario engraçado! =)
Na verdade era pra ser "descolori", mas por um erro de digitação ganhei um comentário que me fez rir...Volte sempre!
Eu voltarei!
Bjo*

Leon Prado... disse...

cara, ficou muito bom....
só por curiosidade, da onde vc tirou aquele desenho?

Leonardo Curcino disse...

o medo é algo que vai e vem. as vezes, ele fala grosso outrora fala manso. e generalizando, todos tivemos alguns desses medos (ou todos) e todo mundo se preocupa de vez em quando qualquer coisa que seja.

e o desenho eu peguei em dos varios sites de design que visito no dia-a-dia.

Leon Prado... disse...

credita eles eh... vc gostaria de ver sua poesia sem credito acompanhando o desenho de alguem?
abraços

.Mariana. disse...

Sentimento puro, de criança dentro de si!
Todo ser humano passa por isso, pelo menos penso assim. O medo, a vontade, aquele pensamento todo, tudo verdadeiramente real!

Sinto por não ter visto no dia da postagem :(

As pessoas mudam, mais os complexos e medos dentro de si são semelhantes, cada um com sua própria personalidade, encarando os medos e vontades, cada um de forma diferente. Pelo menos, é o que eu penso agora.

Mais uma vez, muito bom!

Leonardo Curcino disse...

ok leon. creditos da imagem by pablo perussi, deviant art.

;)

isaac disse...

uma voz bonita falando neste poema; mas me faço a pergunta do "raphael", porque na construção poética com esses medos resultou um cagaço violento, sobrepondo-se à forma sutil do poema :)
é bonito e sensível.

Victor Meira disse...

Os medos postos são realidade, nego. Gosto muito.

"De só sonhar sem realizar,
Querer sem poder,
Sentir sem prazer,
De me esquecer,
De te perder,
De ser."

Tudo isso é de relevância forte, Leo. Todos esses medos. E não gosto da leitura (acidentalmente automática) que o penúltimo verso pode sugerir, com uma conotação amorosa. Pra mim o verso é amplo, e se refere a uma realidade ideal, amarrando com o resto dos versos.

Boa, nego. Sincera.

Bagunceiro disse...

Quem não tem medo???

O negócio é não se deixar dominar por ele e viver uma relação de aconchego por causa dele! Adorei o texto!!! Abraços...