5.2.09

Batom de Jazzmin

Escuto suave,

Pela primeira vez
.................................jazz.
ao
......vi
............vo

Em metais de marcha
No passo da guerra,
Uma notamental sentisuave.

Um beijo só
......................................pra
................................nota

De marcai sem éche
Da pazza no guezzo,
Uma notasuave sentimental.

Uma no ta Dó.
Uma no tá Só.

...........................Sol à Solo
................................Sola Solo

na su a ve no ta men tal
do si em mi la gre tal
su zzu zza do
....................C àche

quisá sol fosse lá
..............................si
..........................zii
.....................ziii
..............ziiii
..........
quisá,
................quisá.

6 comentários:

Heyk Pimenta disse...

é a prograssão da música, dá pra saber que som que fez. Gostei, Túlio, a ousadia da forma e nas palavras dão pro poema mas cara, as coisas de sentir, os sentimetais aí expressos são de grandíssima qualidade e espertesa de poeta jazzeiro.

Minina disse...

pôxa, q lindeza...

fiqei aqi bestinha, só.

tomazmusso disse...

que ritmo hein cumpádi. que diversão! vou ler com jazz, valeu.

Merlin disse...

Jazzou hein!
bão!

isaac disse...

total musical, não é um poema, é uma música. bom demais.

Victor Meira disse...

Já mostrei, em outra feita, meu apreço por essa poesia. O poeta dela tá liberto, e a poesia faz música, com repetições nas horas certas, e construção sintática acurada.

Tezão, meu nego!
Da pazza no guezzo!