7.2.09

#

de guerra
em guerra
chegamos à festa
independente da paz que nos resta

poesia pra
rimar_comer / viver_ sentir / morrer_ cagar
...cantar...
(desconstruir)
e o que mais tiver de ser

tudo que nasce da alma e/
chega à razão - é digno (de)mérito
os críticos, estes eu amo
e detesto

pedaços do meu espírito
espalhados em (micro) partículas
que caminham pelo universo
desses, eu não desisto

-hum laço orecular-

sem custo ou preço: detalhe

4 comentários:

tomazmusso disse...

interpretação(minha) pós liquidificador, gostei Don.poesia tipo fazendo embaixadinha, ou futuro- agora,ou calma pra dar porrada, ou " como fazer carinho num pedaço de alumínio", o seu "entre" fica à vontade.

Don Caco disse...

po, só as impressões ja ampliam o diálogo pra outros paralelos d'universo. Eu gostei mais ainda, valeu, grande abraço!

Anônimo disse...

achei uma merda, tu é um poeta sem criatividade, o teatro não te ajudou em nada?

Caco disse...

o teatro me "ajudou" a achar "merda" uma consagração da travessia que é o ritual de entrar no palco e dar vazão pro fluxo.
Agradeço pelo comentário sincero e proponho um brinde ao seu anonimato, já que nem uma máscara (heterônimo) tu criou, pra expôr tua nobre opinião.