15.9.09

Juventude Limpa

Oi
Oi
Vai
Como não
Esse foi
Melhor
Agora sim
A Dona
Seuzinho
Guardanapa
Repitinho
Uma cataxumba
Que meda
Se achavas
De bobeira
Pesado
No Goodcyber
Né Páreo
Jojô
El Partituro
Tá preso
Não, tá solto
Xiiiiiiiiii
Trinca aí, mano
Eu tenho uma velha enceradeira 2.0 modernista
Já eu, tenho uma capivara gorda de imprimir,
Que anda mal das pernas, mas que reúne ainda as melhores graventuras
Vambora então dar assaltorama no telefoninho do banco real
Moer o que restou dos grãos e das insígnias, childs da puta!
Nós, aqui no Homem de Barro, aproveitamos quase tudo
Projeto social se foi e nós ficamos que muito mais do que artistas
Chamam os petites teletristas
Numa barraquinha de mates e revés
Salgadinho de ovold na boca até saiu
Ao cumprimentar uma pessoa da menos importante
Com tudo que pariu numa passucata: in globocarequestante
Ainda jogo a capoeira que é uma coisa de major
Nela, eu abro uma lata como ninguém mais faz.

Rod Britto – 2009 – Rio de Janeiro / Brasil.
gratoporlembrar@gmail.com

2 comentários:

isaac disse...

panquei, mano. kkkkkk
adorei a mudança brusca da obra, mais ou menos em seu meio - isso durante a leitura.
abraços forte

Victor Meira disse...

Hahaha, as figuras são ótimas. Me amarro na capivara gorda que ainda reúne as melhores graventuras. E "childs da puta" é de rachar de rir, hahaha, tive até que compartilhar com os mais próximos quando li.

Mas o verso áureo é: "projeto social se foi e nós ficamos que muito mais do que artistas". É ótimo.

Viva Rod, nosso poeta doido!