15.6.09

Junho é mês de soltar balões!!! E incendiar os arraiá certo - que nem Canudinhos apaga

Escaparate
"Na Raspadinha do Chico" (assaltando a galeria): Dois textins, tetins-tetinhas, acêrca pulada do meu umbigol - homenagem de passagem e transposição hakin, bené y ana ao Heik que mais una vez me ayudou con lo sítio..................... - kilômetros e quélômetros de área invadida y, !vaya!, por qué no, cultivada ya. é cultie "Bada" en espanõl; Bala no Rio, quebrando as /gale/ /Ria/, con los producto de una moda rural; por supuesto, pero bien lejos desto, PasaMeMeira, este esteja sempre comigo, a cada clarão - espacio para dos homenages, entonces, o tres, Dna. Maria Amélia, #abrindo o salão#, definitivamente. Bloggs (los de colectividad) son tiendas de misma galería, una do lado da outra. Para Mis Caros Amigos. umbigo buraco de bala. Bat na Oeste, o rei das amorcegolícia. Delicia, mi, raspa, raspa, y así mismo lo 78 rotaciones na "Bi"trola...

Hot Fitz

Quando perguntado, hei, você, o que está fazendo aí do lado de fora? Por que você não entra conosco? Logo vou, estou aqui na porta manobrando a minha inteligência. E a respeito, devolvo-lhe, o Jô já chegou? – Virá com produção e tudo. Abalará. Cuidado para que ao parar a burrice dele não bata na sua arrogância. Não, não: essa eu levarei em cheio lá pra dentro. Tomar na lata. “Faça bom uso”. – Sim, derramarei minha carteira de habilitação falsificada. – Não seria marginal? Não; é mais que isso. É uma réplica 12 años. Esse tempo todo eu estava era parando a sua assistência. E reparou? Muito bem; da próxima vez venho com esse laço no cabelo balançando na janela. Passando o cemitério, aceno de longe pros jazigos: conversas conversíveis. Hit-Sot-cit-et-ta-te. Topando no correio deixo uma remessa de credenciais. Lá não me aproximo mais pessoalmente é pelo mau cheiro. Cooooovas! Eis que a sinceridade está enterrada. Se até rouba carros de louça! Aqui, Fossas do Hot. Lá dentro, as Nasais de Fitz. Assoa. Enôjado.


Pelas unhas

Meu bem, não sei se já posso sair outra vez. Ora, por quê? Vai que essa inspiração me ataca, fico preocupado. Não se preocupe, você se recupera. Recupero-me de você! Se eu não gosto do que você escreve! Já seria, inclusive, uma perda para o Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional, né, bem. Ou a minha unha no barbeiro. No barbeiro? Sim, é lá que faço a ponta do meu lápis. Estou de olho em você, bem. Lápis de olho... é lápis de olho. Danada, ela anda solta por aí. E por aqui com você também.


Rod Britto, 2009 – Rio de Janeiro / Brasil - gratoporlembrar@gmail.com

2 comentários:

O DEDO DE DEUS NO CU DO MUNDO disse...

esse blog aqui é um sonho meu irmão... baum bagaraí... parabéns

Victor Meira disse...

Rod e o modo doido de escrever e de judiar nossa razão. Espanca até amortecer.