3.1.09

Pressa e   c a l m a

Agoraeutenhopressade
Chegaraestaçãomaisfria
Pressadeandarnachuva
Emboacompanhia
Pressadeveromar
Deveromundo
Tãoduroebravo
Quantocoraçãodevagabundo

Correqueeutenhopressa
Dedestoaracançãomaisbela
Atenuarosmimosdocasal
Maisfelizdapassarela
Correqueeutenhopressa
Devoltarcommeuamormaisdorido
Colocartodososilícitos
Dentrodeumsócomprimido

Nem   mais   guapo   nem   mais   tátil   que   o   seu
Só   quero   a   certeza   de   um   amanhã   viril ,
Mas   calma   que   eu   vou   tranqüilo
Pois   meus   amigos   são   todos   humanos
E   eu   tenho   a   ligeira   impressão
De   que   eu   não   sou   daqui .

15 comentários:

[ rod ] disse...

Jogo de palavras, desejos e intenções que se juntam e se afastam... correm e, por horas, só andam.

Que o amanhã seja de sabores díspares, mas nem por isso vivíveis.

Abçs meu caro,








Novo Dogma:
ceGo...


dogMas...
dos atos, fatos e mitos...

http://do-gmas.blogspot.com/

[ rod ] disse...

E outra... como participar desta idéia?

Se é que posso.r.s.s.s






Novo Dogma:
ceGo...


dogMas...
dos atos, fatos e mitos...

http://do-gmas.blogspot.com/

Flávia disse...

coisaboaessadeselê!!!!

.Mariana. disse...

"E eu tenho a ligeira impressão
De que eu não sou daqui ."

Taaanta gente, tão pouca gente!

Priscila Milanez disse...

De fato, a gente tem tanta pressa que segue nesse fluxo contínuo e insano engolindo as palavras, pessoas, sentimentos e ações sem se dar ao trabaho de digeri-las...Daí as gastrites e úlceras nervosas! Vamos engolindo os espaços entre uma palavra e outra, uma coisa e outra, uma pessoa e outra, tudo porque estamos sempre com pressa. Gostei desse texto apressado.

Victor Meira disse...

Encontrar o "destoar" foi heróico, hahaha. Gosto bastante, Leo. A leitura das primeiras estrofes gera um efeito muito legal, que é o de tentar seguir o fluxo de leitura mas tropeçar e ter que ficar voltando. É como as ações impensadas do dia-a-dia sempre abarrotado.

Que me diz da virilidade da manhã de segunda-feira, dia 5 de janeiro?

Hahaha.
Um abração!

Jairo Souza disse...

Mt legal curcino!
Adorei o jogo de palavras ao efeito da pressa e calmaria!
Abç!
Gostei do espaço!

Leonardo Curcino disse...

é um texto bem "dia-a-dia mundo atual". a priscila entendeu bem a intençao. hoje nao nos damos tempo pra quase nada e tropeçamos em meio aos nossos proprios atos, engolimos as coisas basicas e as coisas que deveriam ser degustadas com mais tempo.

e, por fim, quando o ritmo ja funciona a contento, quando paramos pra pensar, ja é tarde demais e fica aquela sensaçao chata de que "nao somos daqui".

Victor Carneiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Victor Carneiro disse...

Leo leo cara de pastel... Adorei o projeto!

You know that I like this!

Heyk Pimenta disse...

Leo,
Jóia. Bem vindo pra caramba. Fiquei aqui olhando isso. Concordo com o entorno e motivações dessa obra sua. E teve versos aqui que me fizeram sentido tanto estética quanto semântica mente mesmo. Legal.

Gostei mesmo do "de atenuar os mimos do casal" isso faz sentido sei lá onde e faz sentido pra caramba.

Jóia. Vamos trocando.

"COlcar todos os ilícitos dentro de um só comprimido" é jóia tbm. por tudo.

cicas disse...

QUER AÇÃO EM 2009?

VENHA FAZER PARTE DO CICAS
CENTRO INDEPENDENTE DE CULTURA ALTERNATIVA E SOCIAL.

ESPAÇO PARA:
TEATRO, MUSICA, OFICINAS CULTURAIS E ESPORTIVAS, PALESTRAS, MEIO AMBIENTE, SARAL E LITERATURA E MUITO MAIS...

SAIBA COMO PODE COLABORAR E USUFRUIR DO ESPAÇO.
projeto.cicas@gmail.com

O Estado é Laico disse...

I Liked! \o/

Karol Armstrong disse...

"Nem mais guapo nem mais tátil que o seu
Só quero a certeza de um amanhã viril ,
Mas calma que eu vou tranqüilo
Pois meus amigos são todos humanos
E eu tenho a ligeira impressão
De que eu não sou daqui ."
gostei dessa parte!
^^
*

CAROLLINA disse...

Quando li o título "pressa e calma" e depois vi a foto de um instante de pressa. Fui com uma pressa ler o texto e não consegui ler com pressa.
Achei um máximo o conteúdo sobre a pressa e as palavras juntas que me impossibilitaram de ler com pressa. Parecia uma criança lendo o primeiro texto da sua vida.