21.1.09

nota experimental ou invenção n. 1

12 comentários:

tomazmusso disse...

Salve galera do Maná!!!! espero que consigam enxergar; tem uma variação no blog www.solnalata.blogspot.com
valeu, Abraços

Lírica disse...

Eu vejo uma coluna vertebral muito legal se metamorfoseando em borboletas, aí vejo a brincadeira de "SE AMOR FOR" e vejo outra metAMOR-FOSSE...
Muito, muito interessante!

Philippe (bacana) disse...

é claro!
coluna e pelvis.

pelvis é um nome legal.


e tudo bonito, parabens salam aleico!

Tulio Malaspina disse...

Melhor que qualquer formatação que esse blog possa oferecer, e com a imprescindível personalidade do autor em todas curvas e traços.
Uma diversão e tanto, é para se deixar levar pelo vai e vem da criação! Muito bom!
Abraços!!

Karol Armstrong disse...

Amor
...
Ninguém acerta
Ninguém erra
Ninguém sabe o que fazer

gostei *-*

Victor Meira disse...

Legal, Tomaz! Isso é grito distinto aqui. É ótimo. Penso que a poesia muda tanto quanto uma carta, quando escrita pelo próprio punho do poeta, caneta-papel. A obra vira um objeto diferente, ganha um corpo imagético mais rico, com mais possibilidades do que as encerradas no espaço poético e na tipografia (no caso digital).

Gosto das repetições de quase todos os elementos, como que reafirmações. Acho engraçado também a necessidade classificatória do poeta, ao inserir não um, mas dois títulos em sua obra ("questão de forma sobre amor" e "nota experimental sobre gráficos distintos"), como que um ímpeto em formalizar sua própria obra. E os títulos se posicionam de modo a sustentar a obra como um todo, centralizados e distribuídos polarmente (topo e sopé).

Interessante. A poesia circula em simplicidade, e tem um ar de brincadeira. Legal isso.

Boa, Tomaz.
Bacana.

tomazmusso disse...

legal galera, estou emocionado! era pra parecer um bicho, na verdade dois, compostos de simbolos de erros e acertos, mas a galera viu várias coisas, coluna e pélvis achei ótimo... e é isso mesmo, por ser um blog de letras formatadas achei legal botar de punho mesmo. e como diz joão bernardo, um músico amigo: 'afinal, o amor é uma equação que ninguém resolve bem" valeu.

Heyk Pimenta disse...

acertos
erros

reincidência:

eros.

tomazito, hombre: eu tô surpreso com os resultados que tenho visto aqui. no blog todo. É a reinvenção do espaço mesmo. Eu já tinha visto ousadia manuais no blog da mariana rocha: ela punha poemas e videos feitos à mão e ficava doido.

A coluna e a pelvis, foi ótimo. A meta-amor-fosse, também.
A anotação a cerca dos chutes dos títulos, ótima.

Tá aí um babilaque desses, né? QUe cuidado, não?

Adorei tomaz, preciso pensar mais nessa coisa.

Escuta, e o pedro? só aceitou o convite pra não aparecer?

Miguel Barroso disse...

Se amor for, está bem experimentalizado.



Abraços d´ASSIMETRIA DO PERFEITO

Flávia Muniz disse...

A mor for
forma
sem fórmula

Merlin disse...

Galera,

Comentando paralelamente, venho eu, sagaz desconhecido, apresentar-lhes isso http://www.ideafixa.com/2009/01/21/a-ideafixa-e-caderno-listrado-apresentam/

participem! gostaria de de ver vcs metidos nessa encrenca!

isaac disse...

rapeize, venho aqui destoar um pouco;

gostei bastante do aproveitamento do espaço, mas não curti o visual, não.
gostei da proposta, da quantidade de símbolos envolvidos, mas a arte-final não fez minha cabeça.

abraços !