17.12.07

DEMARCAÇÃO

Chove chuva na estação,

lá foi Tião.

Sirenes ecoam,

sirenes ecoam aos perigos superestimados -

simulação...


Lá foi Tião pro furacão -

Caveirão -

morro do Pavão -

insônia lá,

foi Tião...

Guila – Treze Piratas - 05/07/2007

4 comentários:

Guila Sarmento disse...

Foi mal galera, não estou sabendo colar com cuspe direito, acabou que saiu duas vezes o poeminha, alguém me ajude!! o poema certo é o que tem quebra de estrofe... o outro pode apagar... como apaga?? Deus...

Heyk Pimenta disse...

Guila,

o seu problema com os códigos e com a postagem dupla foi resolvida.

Gostei muito das sequências de 'ss' e do verso 'insônia lá,/ foi Tião...'

O bom é que ajuda a ver que - e eu tenho problema com isso, acbado tratando do fantástico achando que esgotou-se o real - dá pra tratar do tema piegas, desde que com uma boa construção do poema.

Legal.

Tema velho, forma boa.

Minina disse...

tb gostei dos versinhos: "insônia lá,/foi Tião..." pq diz, com a forma (com a qebra do verso anterior "lá foi tião", o q foi diferente d tudo!) de como é difícil se eqilibrar e manter a sanidade entre morros, balas, sirenes e insônia...

d ponta d pé - corda barba, embaixo o precipício.

e vc disse com a forma, a qebra, o novo verso... eu fiqei aqi boqiaberta! hehehhe

bjoabraço.

fabiano Silmes disse...

Muito bom Guila,muito bom mesmo... Mas eu não poderia esperar menos do poeta que escreveu "O banquete de abutres".Vejo no poema postado que a temática social ainda suscita em você aquele fogo que, em declamações na escadaria da Lapa, incêndiou em versos o coreto dos conformados...

Um grande abraço!

EVOÉ,Poeta!!