1.10.07

A Grande Poesia

a poesia cheia
......de significância
é a ejaculação cheia
de uma doce punheta
......direto ao chão

ahhh
..ahhhhh
....ah-ahhh
...............
ahhhhhhhhhhh!

12 comentários:

Fabricio disse...

tem gente que goza no umbigo também. e com texto bom

Vini disse...

ÊÊÊÊ

punheta...
arte...
só não vale punhetar sem gozar!

prosa-poesia-muito doida?
texto-eu sou poeta-vírgula!
longe-algo me-traço.

UhuuUUU

Anônimo disse...

Quem quer falar demais... fala demais! mas dizer algo... ah isso é bem diferente. Pra isso não é preciso dizer muito, mas é muito o dizer preciso.
Parabéns pela porra-ética!

Zé(d's) Dead, Baby disse...

a poesia é inútil?

não gostei.

Alben disse...

Acho que você se equivocou na interpretação Zé.
A crítica do Víctor está mais para o lado da masturbação intelectual promovida por determinados pseudo-escritores.
Ao menos é o que eu entendi.

Se bem que piada e poesia explicada não tem graça nenhuma...

Abraços

Hein, rique disse...

a poesia inútil é inútil.


achei digno.

Heyk disse...

nossa gente.
Será possível que até o blog vai virar briguinha de grupinho? Vich. É simples assim: vamos trocar. Trocar geralmente, quando vem com o amarguinho do desentendimento resolve menos. Vamos nos explicar. Vamos criticar aberto. Sem conversinha mole. Verdade. Eu sofro com isso. A gente se propõe a fazer o negócio pra vcs ficarem de quizumbinha? Não.
Aí o que proponho: façamos debate continuados através dos comentários do blog. Analisemos os respectivimos pontos de vista e tal. A partir daí quem não quiser virar amiguinho vá procurar outros amiguinhos. O mundo está cheio de pessoas pra serem nossos amiguinhos por aí. Sabe? Melhor do que criar inimiguinhos. Esses doem mais. Até as disconfianças ética, morais e de comportamento dos membros do blog, se os membros acharem legal discutam aqui nos comentários. Mas discutam. Não fiquem de fofoca poética, de 'sou um desentendido de desentendimento da descompreençância' isso só faz o grupo tropeçar, meu povo.
E outra, pra fofoquinha de grupinho o google já foi inventado.

E concordo com o zé. A poesia é útil. Gozo no chão coisa nenhuma e se o victor acha que poesia é gozo no chão ou passou a hora de parar, ou passou a hora de começar a escrever poesia útil. Ou a hora de justificar que poesia inútil é bom e fazer um monte de poesia inútil boa pra nóis lê.

Amém, criolada!

Victor Meira disse...

Heyk.
A poesia é uma crítica, um protesto interno.

Nada de briguinha.

Acredito que, apesar de fugir da concepção comum do "belo", é uma das poesias mais úteis que já foram postadas aqui.

Amém também, criolão.

Heyk disse...

sim, a gente sempre acredita nas coisas que faz.

mas não vejo isso.
tô fazendo minha poesia, meus textos, convidando pessoas que acho que de fato devem figurar o blog, e sua insatisfação me causa estranhamento. Já disse, talvez o que pra vc esteja iluminado agora pra mim não tá claro. e por isso peço: se explique, cara. É sério.
Não entendo seu ardor furtivo de dar um tapinha e sair toda vez. Isso não é seu. E se achar que vai explicar e nã vamos entender, talvez não falemos a mesma língua, e aí mora a chave, ou do bilinguísmo, ou da barbárie.

Vini disse...

pois é...
achei o texto fraco e a crítica boba.

chego a pensar se rolou um bairrismo virtual.

poesia útil, inútil. Besteira.

concordo com Heyk "Gozo no chão coisa nenhuma..."

beijos

Carina Bentlin disse...

Não briguem crianças!!

Heyk, pareceu aí o Poetinha, td no diminutivo: amiguinho, inimiguinho, fofoquinha, grupinho. Vai meninos, gozem a vontade, mas sem mesquinharia na alma e na arte, por favor, isso brocha! hahá

Zé(d's) Dead, Baby disse...

Para o Vini:

"não me pergunte o assunto do poema, meu poema fala sempre de outra coisa"
(Mario Quintana)

"O poema são mil faces ocultas sob a face neutra" (Carlos Drummond de Andrade)