25.6.10

Hemisférios

.........................................................................................Da série grafitos, aquarela, 2009.

Me aproximo de mim
......a rua e
o sol vibram nos meus passos.

Sinto me como um que a tudo abraçaria.

Lua branca de verão

vontade incontrolável de dançar
até que as pernas peçam descanso.

De volta ao carrossel
....que me tonteia os sentidos
paro e sigo
o corpo permanece no giro
e os olhos turvos

....de todas as cores que se somam até o branco.

Me agarro numa beirada de sorriso.
....Já não estou lá, já não estou aqui.
Tudo se move

e vagam as memórias em vôos astronáuticos.

do livro Fragmentos do imaginário

3 comentários:

Pedro Gama disse...

Williiam essa aquarela é enigmática. Dá pra ficar olhando sem parar para a obra. Ela simplesmente funciona, tem fluidez, equilíbrio. Caraca é linda! Parabéns, realmente um excelente trabalho!

isaac disse...

Isso, chama mesmo a atenção essa obra a acompanhar o poema, possui um tom muito convidativo...
O poema é um altar de liberdade, não a furreca, das pequenas escolhas, mas a vertiginosa, repleta de responsabilidade revitalizante (não a penalizante). Isso que eu sinto lendo esse poema.

Heyk Pimenta disse...

eu só penso que esse nosso time é mesmo impressionante!
porra! guto, william, karina, galera, que doidera!